Entenda como funciona a cirurgia de miopia

Blog | Notícias
Entenda como funciona a cirurgia de miopia

 

Se você tem miopia com certeza já se viu incomodado com o uso frequente de óculos ou lentes de contato, não é? Então saiba que, a depender do seu caso, a cirurgia de miopia pode ser uma opção. Neste texto você irá entender melhor como ela funciona! 

 

Mas antes, vamos explicar melhor sobre erros refrativos. Bom, na vista normal de alguém que não necessita de óculos as imagens se localizam de forma precisa na retina com nitidez. Porém, em pessoas com algum erro refrativo, essa imagem projeta-se fora da retina, devido ao alongamento ou encurtamento do globo ocular, como também por irregularidades nele. 

 

No caso da miopia, o globo ocular é mais “longo”, o que faz a imagem se formar antes da retina. 

 

1 - Posso realizar a cirurgia de correção? 

 

Antes de tudo, para saber se você pode realizar o procedimento, deve-se passar por uma avaliação médica. Também chamada de cirurgia refrativa ela necessita de alguns critérios para sua realização, por exemplo: 

 

  • Estabilidade do grau por pelo menos um ano; 

  • Formato do globo ocular; 

  • Estabilidade na pressão intra-ocular;

  • Não presença de doenças oculares; 

  • Geralmente maior de 18 anos, ou, em alguns casos recomenda-se esperar até os 21 anos; 

  • As recomendações médicas geralmente são de até 10 graus de miopia, 5 graus de hipermetropia e 6 graus de astigmatismo. 

 

Serão realizados exames oftalmológicos pré-operatórios para garantir a segurança da cirurgia. 

 

2 - Como a cirurgia funciona? 

 

A cirurgia tem duração de alguns minutos, realizada em sala cirúrgica estéril e com anestesia tópica (colírios). Dentre suas opções temos a LASIK, a PRK (ambas opções com laser) e lentes-intraoculares. Converse com seu oftalmologista sobre suas possibilidades. 

 

3 - Quais são os riscos? 

 

Apesar de atualmente ser um procedimento muito seguro, toda e qualquer intervenção cirúrgica possui seus riscos, e com as cirurgias refrativas não seria diferente. Alguns exemplos são: hipocorreção, hipercorreção, astigmatismo induzido, olho seco, infecção. Novamente reafirmamos: não deixe de conversar com o especialista na área para tirar suas dúvidas. 

 

4 - Pós-Operatório

 

A recuperação é bastante rápida nesses procedimentos, também não é dolorosa, podendo surgir uma pequena intolerância à luz ou incômodos leves nas primeiras horas. 

Na maioria dos casos os pacientes podem voltar às suas atividades normais quase imediatamente, apenas tomando cuidado com o contato do olho com algumas substâncias. 

Também serão prescritos colírios e, talvez, anti-inflamatórios para melhor recuperação.  

 

5 - Qual o valor? 

 

O valor varia de acordo com clínica, profissional, caso do paciente, técnica escolhida, seguro de saúde, dentre outros. Por isso, é importante ter uma boa avaliação e o valor será comunicado pelo médico oftalmologista responsável.

Comentários